Ciclo dedicado à história de cultura árabo-islâmica em um percurso que se inicia na conquista do Egito por Napoleão e suas consequências, tais como o início do estudo dos monumentos do Egito Antigo; o universo da música árabe com sua enorme sensibilidade; a história das Cruzadas, vista por um outro angulo; o apogeu e queda do Império Otomano; Armênia e Palestina; imigração sírio-libanesa em São Paulo e a importância de Jamil Almansur Haddad.

Palestras com 2h30 de duração, das 19hs às 21h30.


PROGRAMAÇÃO

ENCONTRO 1: 03/07,  3ª feira: NAPOLEÃO NO EGITO I

ENCONTRO 2: 10/07,  3ª feira: NAPOLEÃO NO EGITO II

Ao conquistar a terra dos faraós, Napoleão mobilizou fantasias de poder e de glória que tiveram imensa repercussão histórica. De um lado, a aura messiânica do jovem general alteraria para sempre os rumos da França revolucionária. De outro, a aventura abriu caminho para uma prática colonialista cujos efeitos estão presentes ainda hoje na África e no Oriente Médio.

Docente: Plinio Freire Gomes – É autor de O herege vai ao paraíso (Companhia das Letras). Graduou-se e fez mestrado em história, na Universidade de São Paulo. Viveu durante quase duas décadas no exterior, entre a Europa e o Oriente Médio. Lecionou no Masp, Mam, Casa do Saber, Centro Universitário Maria Antonia e Instituto de Cultura Árabe. Há cinco anos coordena o grupo de estudos em arte na Biblioteca do Masp, atuando também como membro fundador do coletivo Lente Cultural, na Livraria Martins Fontes. Atualmente apresenta conferências e cursos sobre história da arte, com foco nos períodos helenístico, romano e renascentista, mas sua principal área de atuação é a cultura islâmica. Participa ainda, na condição de especialista, em projetos de viagem com foco em países como Itália, Espanha, Marrocos, Irã, Índia, China e Japão.

ENCONTRO 3:  01/08, 4ª feira: MÚSICA ÁRABE: EXPRESSIVIDADE E SUTILEZA

Destinado a leigos que querem conhecer toda a riqueza da música árabe, assim como seus aspectos históricos. Além das informações teóricas, haverá exercícios de escuta direcionada, a fim de perceber melhor os diversos aspectos da sonoridade oriental.

Docente: Márcia Dib – Mestre em Cultura Árabe pela FFLCH/USP, autora do livro Música Árabe: expressividade e sutileza; diretora do Mabruk! Companhia de Danças Folclóricas Árabe; professora, coreógrafa e bailarina de danças árabes.

ENCONTRO 4: 22/08, 4ª feira: JAMIL ALMANSUR HADDAD, O POETA DAS FRONTEIRAS: ENTRE A LITERATURA “ORIENTAL” E A POESIA BRASILEIRA.

Jamil Almansur Haddad, médico, poeta, crítico e tradutor brasileiro teve a trajetória marcada por paradoxos. Descendente de imigrantes libaneses, desempenhou papel central nos meios intelectuais, ao atuar como colaborador na imprensa e publicar pelas grandes editoras. Foi o primeiro em traduzir, integralmente ao português, as Flores do Mal, de Charles Baudelaire, e introduziu as obras do Marques de Sade no país, quando o escritor maldito era proibido de ser vendido até mesmo na França. Como situar no tempo e no espaço e abarcar a trajetória de um autor cuja produção heterodoxa foi escassamente documentada, que se recusava a dar explicações sobre sua lírica, não se vinculou aos movimentos literários brasileiros ou aos poetas da imigração árabe e que, enquanto viveu, foi tachado de “incoerente”?

Docente:  Christina Stephano de Queiroz – Doutora pelo programa de Estudos Judaicos e Árabes do Departamento de Letras Orientais da Universidade de São Paulo e Mestre em Identidades Culturais pela Universidade de Barcelona, na Espanha. Jornalista colaboradora da revista Pesquisa Fapesp, pesquisadora e roteirista na Prodigo Films. Desenvolve pesquisas acadêmicas, jornalísticas e audiovisuais.

ENCONTRO 5: 10/09, 2ª feira:  “CRUZADAS”: HISTÓRIA E MITO I

ENCONTRO 6: 17/09, 2ª feira:  “CRUZADAS”: HISTÓRIA E MITO II

Há séculos elas vêm polarizando as convicções. Guerra religiosa? Ou protótipo do imperialismo? As “Cruzadas” restam como um dos episódios menos compreendidos da relação entre o Ocidente e o Oriente.

Docente: Plinio Freire Gomes – É autor de O herege vai ao paraíso (Companhia das Letras). Graduou-se e fez mestrado em história, na Universidade de São Paulo. Viveu durante quase duas décadas no exterior, entre a Europa e o Oriente Médio. Lecionou no Masp, Mam, Casa do Saber, Centro Universitário Maria Antonia e Instituto de Cultura Árabe. Há cinco anos coordena o grupo de estudos em arte na Biblioteca do Masp, atuando também como membro fundador do coletivo Lente Cultural, na Livraria Martins Fontes. Atualmente apresenta conferências e cursos sobre história da arte, com foco nos períodos helenístico, romano e renascentista, mas sua principal área de atuação é a cultura islâmica. Participa ainda, na condição de especialista, em projetos de viagem com foco em países como Itália, Espanha, Marrocos, Irã, Índia, China e Japão.

ENCONTRO 7: 10/10, 4ª feira: SÍRIOS E LIBANESES EM SÃO PAULO: OS CAMINHOS DA IMIGRAÇÃO NA CIDADE.

A imigração dos sírios e libaneses foi bastante expressiva a partir do final do século XIX. Muitos se dirigiram ao Brasil, especialmente à cidade de São Paulo. A palestra abordará os caminhos percorridos por este grupo migratório. Serão analisados os lugares em que se fixaram; as razões para terem se estabelecido nesses bairros; o comércio em algumas dessas áreas; os espaços criados, tais como clubes, igrejas, mesquitas, hospitais e associações de benemerência; e as mudanças e permanências desses locais e dessas dinâmicas ao longo dos mais de cem anos do início desta imigração para o Brasil.

Docente:  Juliana Mouawad Khouri – Mestre em Estudos Árabes pelo Departamento de Letras Orientais da Universidade de São Paulo (2013) e formada em Turismo pelo Centro Universitário Senac (2008), é professora e pesquisadora, especialmente sobre a imigração síria e libanesa para o Brasil. Além dos cursos e pesquisas, tem desenvolvido projetos relacionados à Cultura Árabe para diversas instituições culturais.

ENCONTRO 8: 24/10, 4ª feira: PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE: EGITO

O legado arquitetônico do Egito Antigo tem despertado o interesse ao longo dos séculos. Essa palestra apresenta alguns dos principais conjuntos arqueológicos egípcios que foram inscritos como Patrimônio da Humanidade em 1979 como as pirâmides de Gizé, a necrópole de Mênfis, a região da antiga Tebas com seus templos de Luxor, Karnak e o Vale dos Reis; além dos templos núbios de Philae e Abu Simbel.

Docente: Angela Rosch Rodrigues – Arquiteta e urbanista (1998) pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, mestre (2011) e doutora (2017) pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo  (FAU USP) em História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo, com ênfase na área de patrimônio histórico e preservação de bens culturais, apoio FAPESP.

ENCONTRO 9: 12/11, 2ª feira: O IMPÉRIO OTOMANO: APOGEU E CRISE

O Império Otomano, durante seus mais de 600 anos de existência, foi um império multiétnico, multirreligioso e multicontinental, abrigando um grande número de povos e territórios, sob a égide de um sultão e califa. Nesta palestra vamos discutir aspectos sociopolíticos otomanos e refletir sobre as consequências da queda do Império para os nossos tempos

Docente: Heitor Loureiro: Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista e professor do curso “Conflitos Internacionais e Globalização” da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo.

ENCONTRO 10: 26/11, 2ª feira: ARMÊNIA: GENOCÍDIO, DIÁSPORA E OS DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS

Em 2018 o mundo testemunhou a população da pequena República da Armênia ir às ruas contra um governo impopular e derrubá-lo. Desde Síria, Líbano, Américas e Europa, milhões de armênios na diáspora observavam atentamente os desdobramentos dos eventos políticos na pátria-mãe. Nesta palestra vamos refletir sobre os desafios de armênios na república no Cáucaso e na diáspora em manter uma identidade em comum, uma língua e pautas políticas que vão desde o reconhecimento do genocídio armênio iniciado em 1915 até a resolução do conflito com o Azerbaijão.

Docente: Heitor Loureiro: Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista e professor do curso “Conflitos Internacionais e Globalização” da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo.

ENCONTRO 11: 04/12, 3ª feira: PALESTINA: A SAGA SEM FIM.

 

DocenteArlene Clemesha – é professora de História Árabe do curso de Árabe da Universidade de São Paulo (DLO-FFLCH/USP). Possui mestrado e doutorado em História, com pesquisas sobre a questão judaica e a história da Palestina moderna. É autora de livros e vários artigos relacionados ao tema publicados dentro e fora do Brasil, entre os quais: Marxismo e Judaísmo (1998), Palestina 1948-2008. 60 Anos de Desenraizamento e Desapropriação (2008), Edward Said: uma herança árabe internacionalista (2005), A imigração árabe no Brasil (2010), Uma educação para preservar a identidade palestina (2006), Mandato Britânico na Palestina (2002), e A questão israelo-palestina (2002).

Horário: Palestras com 2h30 de duração, das 19hs às 21h30.

Local: Auditório da Livraria Martins Fontes Paulista, Av. Paulista, 509, 2º andar. Estacionamento conveniado: Rua Manoel da Nóbrega, 88 ou 95. Metrô Brigadeiro

Investimento: R$ 45,00 por palestra; curso integral (11 palestras): R$ 445,00

Forma de pagamento:
Pré-inscrição no site e pagamento através de PagSeguro ou depósito/transferência bancária: Santander ag. 4779 c/c 01027512-7 (Heloisa Julien CPF 076555268-00).

A inscrição somente será efetivada após o envio de comprovante bancário para cursos@lentecultural.com.br. A efetiva realização de cada palestra está condicionada a um número mínimo de inscritos. Não deixe para fazer sua inscrição no último momento, pois isso poderá levar à não-realização do evento.

Ficha para inscrição: